Bugatti Chiron Divo: menos velocidade e mais rapidez

quinta-feira, 22 de novembro de 2018 Turbo Nuno Fatela Turbo

Apesar de ter menor velocidade de ponta, esta edição limitada a 40 unidades promete ser mais veloz pois, ao aumentar o downforce, consegue lidar melhor com as mudanças de direção. Este é o Chiron que custa cinco milhões de euros, o Bugatti Chiron Divo.

Uma das críticas que muitos fazem aos Bugattis modernos é de que se tratam de bólides pensados apenas para as retas, tendo imensa dificuldade, em comparação com outros estratosféricos superdesportivos, em obter um compromisso eficaz nas mudanças de direção. A estes detratores a marca francesa dá agora uma resposta no valor de cinco milhões de euros, o preço que custa cada uma das 40 unidades do Bugatti Chiron Divo. Esta edição recebe várias alterações que beneficiam o comportamento aerodinâmico, a que se junta uma redução do peso em 35kg.

A barbatana que se estende até à traseira é a principal novidade do Divo, que passa a conseguir atingir os 1.6G em acelerações laterais, contra os anteriores 1.5G. Mas existem muitas outras alterações, que começam logo na dianteira, totalmente redesenhada. Além de passar a contar com esguias luzes de apenas 35mm de altura, a que se juntaram também as entradas de ar de dimensões superiores.  Existem ainda novas aberturas ao longo da carroçaria, que estão colocadas no capot, nas laterais para a refrigeração dos travões e também no teto.

Na retaguarda, o destaque vai para o incremento em 23% do tamanho da asa de atuação hidráulica, que tem 183cm de comprimento. Para a imagem também contribui a grelha traseira, parcialmente criado com recurso à impressão 3D, e onde se pode ver uma faixa bastante trabalhada para os grupos óticos. E, ao centro, temos na parte inferior as quatro poderosas e imponentes saídas de escape.

A bordo é destacada a divisão bem demarcada entre o lugar do condutor e aquele reservado ao passageiro do Bugatti Chiron Divo, de forma a deixar muito claro que a única coisa com que o homem ao volante tem de se preocupar é com a estrada em frente. E, para que ele fique bem agarrado enquanto lida a velocidades superiores com as curvas, foram integrados novos bancos com mais suportes laterais. Para este modelo as linhas de produção de Molsheim também vão ter de fabricar novos revestimentos parciais em alcantara para o volante com patilhas. Para o exterior, é destacada a nova combinação cromática que acentua os elementos aerodinâmicos através de acabamentos em tons azuis.

MENOS VELOCIDADE É MAIS VELOCIDADE…

A marca continua a confiar das impressionantes capacidades do W16 8.0l de 1500cv e 1600Nm, equipado com quatro turbos e que canaliza a potência através de uma transmissão de sete velocidades. Demorando apenas 2,4 segundos para chegar aos 100km/h, a sua velocidade de ponta está situada num impressionante registo de 380km/h. O que, significa que o Bugatti Chiron Divo tem um registo máximo neste campo que é consideravelmente inferior em relação à edição original.

Mas, por ser feito para as curvas, ao gerar mais 90kg de carga aerodinâmica, acaba por alcançar um compromisso que o torna mais rápido quando se está a conduzir. Algo para que também contribui o comportamento mais direto da direção e suspensão, revistas pelo fabricante.  Isso mesmo ficou comprovado no Circuito de Nardo, onde ele demorou menos oito segundos por volta que o original. Ou seja, menos é mais no Bugatti Chiron Divo, a não ser que encontre uma estrada apenas com retas…