Novo Ferrari SF90 Stradale apresenta-se nas ruas do Mónaco

sexta-feira, 29 de maio de 2020 Turbo Turbo Turbo

Ansiosamente aguardado pelo mercado, o Ferrari SF90 Stradale acaba de cumprir mais uma etapa no seu processo de pré-lançamento, a antecipar, igualmente, a entrada em produção, no final de 2020. Ferrari de produção mais potente de sempre, o SF90 Stradale passeou-se, agora e pela primeira vez, pelas ruas do Mónaco, com o piloto monegasco da escuderia de F1, Charles Leclerc, ao volante.

A Ferrari recriou, no último domingo, a lendária curta-metragem C´Était un Rendez-Vous” de 1976, do realizador Claude Lelouch. 

Desta feita, contudo e passadas que estão quatro décadas sobre a filmagem original, a Ferrari decidiu trocar as ruas de Paris, pelas ruas do Mónaco. Filmando, precisamente, no fim de semana em que teria lugar o GP do Mónaco de Fórmula 1, e que este ano não se verificou, devido à pandemia de coronavírus.

Para esta curiosa recriação cinematográfica, a marca do Cavallino Rampante decidiu recorrer ao novo Ferrari SF90 Stradale, que, neste remake, irá ver o rugido do seu V8, substituído pelo som do V12 do Ferrari 275 GTB, à semelhança do que aconteceu no filme original.

Igualmente alterada, foi, de resto, também a responsabilidade da condução, que, na curta-metragem original, esteve a cargo do realizador. Mas, que, desta vez, foi entregue ao piloto de Fórmula 1 da Scuderia Ferrari, Charles Leclerc.

Novos detalhes sobre o Ferrari SF90

Entretanto e com o início da produção das primeiras unidades a aproximar-se a passos largos, surgiram novos detalhes, relativos àquele que será o Ferrari de produção, mais potente de sempre.

Com um preço estimado de cerca de 450 mil euros, este novo híbrido, promete tornar-se um verdadeiro novo capítulo na marca do Cavallino Rampante.

Uma nova arquitetura

A ajudar a este posicionamento, o facto do Ferrari SF90 estrear uma nova plataforma. Arquitetura que combina um chassis construído em alumínio, de alta resistência, com secções e componentes estruturais, feitos em fibra de carbono.

No que toca às dimensões gerais, o novo Ferrari SF90, é mais longo 99 mm que, por exemplo, o F8 Tributo, isto com o intuito de ter mais espaço para acomodar um motor elétrico, que se situa entre o V8 e a transmissão.

Não um, mas três motores elétricos

Para além deste último motor elétrico, o novo híbrido italiano contará ainda com mais dois. Situados no eixo dianteiro, cada um fica encarregado de uma roda dianteira, com o objetivo de ajudar à vetorização de binário.

Quanto à eletricidade para estes motores, é obtida através de uma bateria, compacta, de iões de lítio, a anunciar uma capacidade de 7.9kWh.

Este conjunto de motores, dá ao novo modelo, a possibilidade de ser aquilo que jamais algum Ferrari pensaria poder vir a ser: silencioso. Já que, permitem propulsionar o SF90, em modo puramente elétrico, por 24 km.

V8 biturbo de 4.0 litros

No que toca à propulsão garantida pelo bloco de combustão interna, a cargo do já conhecido V8 biturbo, o destaque vai para a tremenda renovação aplicada ao motor F154, que viu a sua cilindrada saltar dos 3902cc para os 3990cc. Graças, desde logo, à um aumento do diâmetro de cada um dos oito cilindros em V.

Resultado: 769 cv às 7500 rpm, com o corte de combustível a acontecer a umas ainda altas 8000 rpm.

Claro que, a potência total, não se fica por aqui, pois, a este valor, são adicionados mais 217, provindos dos três motores elétricos.

Assim, a potência total resulta em 986 cv e 799 Nm de binário, às 6000 rpm.

Já as prestações, são e como não poderia deixar de ser, fulminantes. Com o SF90 a levar apenas 2.5 segundos dos 0 aos 100 km/h, e 6.7 segundos para chegar aos 200 km/h.

A velocidade máxima está fixada nos 342 km/h.

Uma nova caixa de velocidades

Outra das principais novidades que marca o novo Ferrari SF90, como um novo capítulo na marca, é a sua nova transmissão.

De oito velocidades, é de dupla embraiagem e pesa menos que a caixa de velocidades anterior. Mesmo contando com mais uma mudança, e tendo a capacidade para lidar com mais potência e binário.

É oficial. Sebastian Vettel deixa a Ferrari no final de 2020

Quanto às restantes características deste novo super-desportivo, já são bem conhecidas, depois de terem sido reveladas, na sua antevisão, no ano passado.

Este website usa cookies para melhorar a navegação dos nossos utilizadores. Ao navegar no site está a consentir a sua utilização. Fechar ou Saber Mais