No regresso das carroçarias. Rolls-Royce mostra deslumbrante Boat Tail

sexta-feira, 11 de junho de 2021 Turbo Francisco Cruz Turbo

Aproveitando o anúncio da abertura do novo departamento de carroçarias, novo passo na personalização, a Rolls-Royce celebra o momento, com um novo modelo one-off: o deslumbrante Boat Tail. Um pedido expresso de um cliente especialmente endinheirado, mas que simboliza, igualmente, uma nova fase na existência da marca de Westhampnett.

Espécie de sucessor do não menos deslumbrante Sweptail, outro one-off dado a conhecer em 2017, cujo preço foi então fixado na módica quantia de 12,8 milhões de dólares (qualquer coisa como 10,4 milhões de euros), o Rolls-Royce Boat Tail é, assim, a primeira criação do recém-formado novo departamento de carroçarias do fabricante de Westhampnett. Ainda que e segundo revela a marca, este one-off tenha começado a ser concebido há quatro anos, ou seja, logo após a apresentação do Sweptail.

Quanto ao Boat Tail propriamente dito, é resultado do pedido feito por um cliente consideravelmente abastado – ainda que a Rolls-Royce não revele o preço… – e vai buscar a inspiração ao meio marítimo. Ou, dito de outra forma, trata-se de uma lancha super-rápida sobre rodas, com um comprimento de 19 pés – perto de 5,8 metros -, a que acresce alguns toques assumidamente náuticos.

Entre estes, surge o deslumbrante azul, em dois tons, que reveste a carroçaria, e a que se junta um capot numa tonalidade mais escura e pintado à mão, assim como um pára-brisas mais envolvente e um “convés de popa” em madeira folheada. Sendo que o azul de dois tons estende-se, ainda, às jantes.

Quanto ao tejadilho, é uma capota de lona que, quando não em uso, pode ser recolhida para dentro do deck traseiro em madeira, operação que, no entanto, tem de ser feita de forma manual. Razão pela qual e também fruto de alguma demora na sua colocação, a Rolls-Royce fornece, ainda, um tejadilho temporário, acomodado na bagageira, de colocação mais fácil.

Repleto de acessórios exclusivos

Passando ao habitáculo, um ambiente em linha com as cores exteriores, mais precisamente, em pele de dois tons de azul, nos bancos e volante, acompanhada de um folheado de madeira, a imitar o deck traseiro, no tablier.

Referência, ainda, para o painel de instrumentos, a exibir uma textura trançada única, baptizada de Guilloche, mais comum no fabrico de jóias finas e relógios, além de um acabamento em azul brilhante.

Igualmente em número considerável, os acessórios, começando por um frigorífico escondido sob o deck traseiro, feito à medida para acomodar as garrafas de champanhe preferidas do cliente, além de um conjunto de talheres de prata com emblemas gravados onde pode ler-se ‘Boat Tail’ e pratos de porcelana combinando com aros de platina.

Caso o sol esteja demasiado quente, um guarda-sol e dois bancos de pano que podem ser retirados do deck traseiro, juntamente com duas mesas para cocktails, uma de cada lado.

Impulsionado por um V12?

Por revelar, ficam, no entanto, as especificações relativamente à motorização, embora o mais certo seja que o Rolls-Royce Boat Tail envergue o já famoso V12 6.7 litros, que no SUV Cullinan debita 571 cv (420 kW), enquanto, no Phantom, atinge os 608 cv (447 kW) de potência.

“O Rolls-Royce Boat Tail nasceu do desejo de celebrar o sucesso e criar um legado duradouro”, afirma o CEO da marca de Westhampnett, Torsten Müller-Otvos, acrescentando que, “resultado de uma realização notável, este modelo forja um momento crucial na história da nossa marca e no cenário de luxo contemporâneo”.

Este website usa cookies para melhorar a navegação dos nossos utilizadores. Ao navegar no site está a consentir a sua utilização. Fechar ou Saber Mais