Lembra-se do pequeno Rallye? Peugeot 106 prestes a comemorar 30 anos

sexta-feira, 02 de julho de 2021 Turbo Francisco Cruz Turbo

A Peugeot está em festa. Isto, porque, o mais famoso dos pequenos modelos da marca leão, o Peugeot 106, celebra, já no próximo mês de setembro, o seu 30.º aniversário. Momento que tornará as unidades ainda existentes verdadeiros clássicos, entre os quais, o saudoso 106 Rallye! Lembra-se?…

Lançado comercialmente no dia 12 de setembro de 1991, o Peugeot 106 foi o primeiro modelo da chamada Geração 6, na história da Peugeot. Tendo surgido com o propósito declarado de alargar a oferta da marca francesa no segmento B, numa altura em que os pequenos citadinos representavam pouco mais de um terço do mercado europeu e cerca de 40% dos automóveis matriculados em França.

Produzido, inicialmente, apenas com carroçaria de três portas, o Peugeot 106 acabaria por receber, já em 1992, uma carroçaria de cinco portas, tendo a marca francesa produzido, maioritariamente na fábrica de Mulhouse, França, um volume total de quase 2.800.000 unidades, até à sua descontinuação, em 2003.

Sobre o automóvel propriamente dito, tratava-se de um automóvel de tração dianteira, que foi disponibilizado com motores a gasolina de quatro cilindros da família TU, de 954 a 1.587 cm3, e de 1.360 a 1.558 cm3 nos propulsores Diesel.

 

Recordista das Séries Especiais

A par da variedade de motores, o 106 foi também um dos modelos Peugeot com maior número de Séries Especiais – cerca de 20, ao longo dos 12 anos em que esteve em comercialização. Sendo que, as mais emblemáticas, foram as versões ‘Roland Garros’ e ‘Zenith’, apresentadas em 1993; os famosos 106 ‘Kid’ de 1994, com os seus bancos forrados a ganga; o 106 ‘Cartoon’, promovido pelo Droopy de 1996 a 1999; o elegante ‘Inès de la Fressange’, de 1997; ou, ainda, o ‘Enfant Terrible’, comercializado em 2000.

Juntamente com estas, surgiram, igualmente, algumas versões mais desportivas, como foi o caso do 106 Rallye de 1993, o 106 XSI com 95 cv (1992) e 105 cv (1995), bem como pelo 106 S16 com 120 cv (1996), naquele que foi o seu último ano de comercialização.

 

Experiente na Competição… e até elétrico

De resto, o modelo teve, também, a sua carreira desportiva, nomeadamente, através da Peugeot Sport, no Grupo N dos ralis.

Já em 1997, seria desvendado o 106 Maxi, inspirado no 306 Maxi, modelo desenvolvido e conduzido por Lionel Montagne, a partir de 1998, tendo também sido conduzido por Cédric Robert em 2000. E que veio a terminar na 5ª posição do Campeonato de França de Ralis.

Aliás, décadas antes do fervor elétrico por que passa, hoje em dia, o mercado automóvel, o Peugeot 106 foi, também, o segundo modelo elétrico da Peugeot. Variante que, destinada tanto a particulares, como a frotas, acabou vendendo cerca de 3.550 unidades.

 

As comemorações

Entretanto e com o objectivo de relembrar o’eterno’ Peugeot 106, o Musée de l’Aventure Peugeot, em Sochaux, dedica-lhe uma exposição, que estará patente até ao final de 2021, e onde estarão expostos oito exemplares: 106 Rallye (versão italiana) de 1994, 106 XSI de 1992, 106 Signature de 1995, 106 S16 de 1997, 106 Enfant Terrible de 2002, 106 Electric de 1996, 106 Maxi de 1997 e um protótipo do 106 Cabriolet de 1992.

Ao mesmo tempo, o mesmo museu está a preparar, em conjunto com o Club 106 Team Rallye e com o Club 106 S16, um grande encontro, dedicado ao 106, para 11 de setembro de 2021. E aberto a todos os proprietários de um destes automóveis.

Este website usa cookies para melhorar a navegação dos nossos utilizadores. Ao navegar no site está a consentir a sua utilização. Fechar ou Saber Mais