Porsche Boxster. Contamos-lhe cinco curiosidades que talvez desconheça

sexta-feira, 04 de fevereiro de 2022 Turbo Redação Turbo Turbo

Sabe como nasceu o nome Boxster? Quantas gerações o modelo já teve? Ou, ainda, as ligações que manteve com o icónico 911? Se tudo isto lhe parece novidade ou até estranho, então, esta é uma peça que, enquanto fã da Porsche, tem mesmo de ler!

Hoje em dia parte da família 718, na qual também se integra o Cayman, o Porsche Boxster é, atualmente, um dos modelos mais acessível da marca alemã de desportivos. Sendo que, também por oferecer uma receita de design e condução distintas do Porsche 911, o Boxster tornou-se, para muitos, aquele outro Porsche que vale a pena ter na garagem.

Concluídas que estão as comemorações dos 25 anos do Boxster, ficam, no entanto, algumas curiosidades e factos históricos, relacionados com este desportivo descapotável da Porsche, que, não temos dúvidas, vai gostar de saber:

1. A origem do nome “Boxster”

nome Boxster foi escolhido pela Porsche a partir de um conjunto de palavras que foram muito importantes na criação de modelo: Boxer, o motor, e Roadster, o posicionamento do carro. Ao combinar estes dois elementos-chave, o modelo descapotável da Porsche ganhou o nome: BOXer e roadSTER.

2. As quatro gerações do Boxster

Oficialmente lançado em 1996, o Boxster Concept foi apresentado, pela primeira vez, três anos antes, no Salão Automóvel de Detroit. O seu design foi obra de Grant Larson, tendo alcançado, logo de início, grande sucesso, tanto junto da imprensa, como do público.

Entretanto e desde o seu lançamento, foram fabricadas quatro gerações do Boxster: 986 (lançado em 1996), 987 (lançado em 2005), 981 (lançado em 2012) e 982 (lançado em 2017). Sendo que, talvez o design mais característico seja o da primeira geração (986), por ter permanecido fiel ao protótipo original.

3. Motores tão parecidos e tão diferentes do 911

Desde o início, o Porsche Boxster foi projetado para partilhar motorizações com o 911, embora com os propulsores convenientemente adaptados à localização prevista no chassis, ou seja, montados numa posição central traseira, além de exibindo um desempenho mais contido. Mas, ainda, assim, com fortes laços entre ambos.

De resto, o primeiro Boxster (986) foi, juntamente com o 911 (996), responsável pelo lançamento da geração dos motores boxer Porsche de 6 cilindros refrigerados a água que marcaram o fim dos motores 993 refrigerados a ar.

4. A saga Spyder

Um dos pontos mais interessantes da história do Boxster é a aposta em edições especiais. Nas quais a gama Spyder surge como aquela que procura homenagear os clássicos da marca.

Assim e ao longo da vida do Boxster, foram desvendadas cinco variantes Spyder: Boxster S “50 Anos de 550 Spyder” (986 – 2004), Boxster RS Spyder (987 – 2007), Boxster Spyder (987 – 2010), Boxster Spyder (981 – 2015) e 718 Boxster Spyder (982 – 2019).

5. O dia em que o Boxster deixou de ser “apenas” um descapotável

O Porsche Boxster manteve-se como o modelo mais vendido na oferta da marca de Zuffenhausen, até à chegada do Cayenne, em 2003.

Três anos depois, em 2006, a marca alemã decidiu reforçar a oferta no patamar de entrada, com o lançamento de uma carroçaria coupé do Boxster 987, a que foi dado o nome de Cayman.

Embora, de início, o Boxster fosse proposto com um preço de compra inferior ao do Cayman, com a criação da família 718 e a integração dos dois modelos nesta gama, a Porsche acabou alterando o posicionamento, tornando o Cayman no seu modelo mais acessível.

 

Este website usa cookies para melhorar a navegação dos nossos utilizadores. Ao navegar no site está a consentir a sua utilização. Fechar ou Saber Mais